Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2017 04 - Abril Caso Jaciara Santos: Comerciaria morreu vítima de arma branca
03/04/2017 - 15h45m

Caso Jaciara Santos: Comerciaria morreu vítima de arma branca

Corpo foi necropsiado, identificado pelo exame necropapiloscopico e liberado para sepultamento

Caso Jaciara Santos: Comerciaria morreu vítima de arma branca

Corpo foi levado para ser sepultado em Coruripe. Foto: internet.

Texto de Aarão José

 

O Instituto de Medicina Legal Estácio de Lima concluiu na manhã de hoje, 03, o exame cadavérico realizado no corpo da jovem Maria Jaciara Ferreira dos Santos. A vítima foi morta por esgorjamento provocado por ação de instrumento corto-contundente.  

 

De acordo com o perito médico-legista Felipe Porciúncula, responsável pelo exame de necropsia, o corpo da vítima apresentava ferimentos letais na região do pescoço e outras lesões secundárias na cabeça e ombro direito, provocado pelo mesmo tipo de instrumento. A necropsia não constatou marcas de projeteis de arma de fogo.

 

O exame ainda comprovou que a jovem não foi queimada, como também não teve seus braços quebrados. Os sinais apresentados no cadáver foram provocados pelo estado avançado de putrefação devido aos ferimentos fatais e a exposição do corpo as condições climáticas.

 

Outro detalhe do exame é que foi contastatado que a vítima não apresentava sinais de abuso sexual. Mas, o médico e sua equipe, formada por técnicos forenses recolheram amostras de materiais genético no corpo de Jaciara, para comprovar se, de fato, ocorreu ou não crime sexual.

 

Como a vítima estava não identificável devido ao seu estado de putrefação, o IML solicitou ao Instituto de Identificação a realização do exame de necropapiloscopia, confronto das digitais do cadáver com a ficha de identificação civil. O resultado positivo saiu no inicio desta tarde, sendo a família informada oficialmente para realizar a liberação do corpo para sepultamento. 

 

O laudo contendo todos os detalhes do exame cadavérico deverá ficar pronto no prazo de 10 dias e será encaminhado para a comissão de delegados criada para investigar o caso.

Ações do documento