Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2018 10 - outubro IML entrega laudo de exame de estupro feito em menina de 03 anos
17/10/2018 - 12h26m

IML entrega laudo de exame de estupro feito em menina de 03 anos

Resultado será de extrema importância para embasar inquérito policial que apura o caso.

IML entrega laudo de exame de estupro feito em menina de 03 anos

Perito médico legista Luiz Mansur especificou no laudo cada uma das lesões encontradas no corpo da criança. Foto: Aarão José.

Texto: Aarão José

 

O Perito Médico Legista Luiz Antônio Mansur Branco, do Instituto de Medicina Legal Estácio de Lima concluiu e entregou nesta terça-feira (16), o laudo do exame de conjunção carnal realizado em uma criança supostamente vítima de estupro vulnerável cometido pelo próprio padrasto.  O exame na menor de 03 anos, identificada pelas iniciais J. M. V. dos S. apontou a presença de lesão da mucosa anal, provocado por ação de instrumento contundente, apresentando ainda risco de morte.

 

De acordo com médico, a membrana himenal estava íntegra coraliforme, mas, a região do ânus apresentava uma fissura em mucosa anal. O laudo deixa claro que essa lesão anal não tem relação com a possível queda da própria altura da vítima, por apresentar apenas lesão interna e sem comprometimento da região perineal.

 

Ainda segundo o legista, a menina apresentava estado grave, intubada com ventilação mecânica, sedada, reativa aos estímulos, e sem condições de avaliação motora. Ainda ficou constatado equimose, edema e escoriação na região frontal à direita, equimose e edema nas regiões esternal, maxilar esquerda e submandibular esquerda, equimose em pavilhão auricular bilateralmente e escoriação nas regiões supra-hiódeia, cotovelo esquerdo e em joelhos bilateralmente.

 

Outro fato importante relatado no laudo é que durante o atendimento a vítima teve uma piora súbita apresentando crise convulsiva devido a presença de um pedaço de caju e de uma castanha crua na sua boca. Esse corpo estranho provocou a obstrução da via aérea levando a asfixia mecânica, não podendo o médico afirmar ou negar se foi devido a um ato deliberado do agressor.

 

Durante o exame de corpo de delito realizado no último dia 09 de outubro nas dependências da UTI pediátrica do Hospital Geral do Estado (HGE) também ficou constatado a presença de pediculose na cabeça, sugestivo no mínimo de negligência. Para chegar a todas essas conclusões, o médico Luiz Mansur ainda teve acesso ao prontuário médico da unidade hospitalar e também da ambulância do SAMU responsável pelo resgate da vítima do Centro de Maceió até o hospital.

Ações do documento